sexta-feira, 27 de maio de 2011

Por que participar de um Coral?

Participar de uma atividade em grupo como, por exemplo, a de um coral, isso pode ser comparado com o relacionamento que se tem em uma família, porque todos devem compreender o contexto em que estão inseridos, suas funções específicas, direitos e deveres. É um ambiente que se aprende muito; no caso do Coral, aprende-se e exercita-se a arte do canto, como também a arte de conviver, de relacionar-se com os outros, compreendendo as diferenças e as funções de cada qual para o conjunto da obra. No coral, tem-se a divisão dos naipes de vozes, cada pessoa, depois de efetuado o exame das potencialidades vocais, é classificado segundo o seu tipo de voz, então, ela se encaixará aos subgrupos de vozes do Coral: tenor, soprano, contralto ou baixo. Isso já desenvolve, por si, o sentido de trabalhar em grupo, desenvolve a sensibilidade, a percepção rítmica e melódica, porque tudo isso existe dentro de todos nós, muitas vezes de forma adormecida, conquanto existam pessoas que tenham um instinto musical mais apurado e manifesto. Enfim, acreditamos que seja fundamental que a pessoa possa reservar um tempo em suas atividades e fazer essa prática, que não é uma prática exclusivamente profissional, porque a intenção do coro é sensibilizar, buscando não só o instinto musical, não apenas isso, mas buscar ampliar os horizontes da percepção melódica e da percepção rítmica que todos nós temos, para vivermos e harmonia onde quer que estejamos.
"Regente: Maestro Roberto Anzai".